O Fórum Social Mundial 2023 começa nesta segunda (23), em Porto Alegre, e vai até o dia 28, debatendo o tema “Democracia, direitos dos povos e do planeta – Outro mundo é possível”. O evento tem mais de 150 atividades organizadas por movimentos e organizações sociais do Brasil e de outros países. Segue o fio que o Curto Explica o que está por trás desse encontro.

Na essência, é um encontro para debate de pautas sociais, organizado por movimentos sociais e ongs de todo o Planeta.

O primeiro encontro foi em 2001: uma resposta ao Fórum Econômico Mundial. Sim, aquele em Davos, onde líderes mundiais se encontram para debater principalmente questões econômicas e ideias liberais.

Os participantes do Fórum Social Mundial têm um perfil de esquerda. A pauta do evento se concentra no debate de relações mais justas e igualitárias . A edição “número 1”, em Porto Alegre, foi um sucesso:  20.000 pessoas de 117 diferentes países!

Na época, oito entidades formaram um comitê para dar aquele pontapé inicial, entre elas o Movimento dos Sem Terra (MST), a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Comissão Brasileira de Justiça e Paz.

Essa galera preparou a terra que germinou o encontro internacional e continua na organização até hoje.

O Fórum Social Mundial inspirou outras ações pelo mundo. E além do evento em Porto Alegre, todo ano, organiza também encontros sociais regionais e temáticos em outras partes do Brasil e do mundo.

(Fontes: Agência Brasil e Fórum Social Mundial)

Veja também:

Receba a Curto 💌 Newsletter