marcha-mulheres-indigenas_mcamgo_abr_100920211818-9-aspect-ratio-930-440
🌎 Curto (Sobre)Viver

Indígenas: 4 perfis para acompanhar a realidade dos povos originários no Brasil

22-jan 15:29
4 min
Créditos da imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Se você fica chocado com as imagens de crianças indígenas desnutridas, da devastação da Amazônia e da contaminação de rios por mercúrio – resultado do garimpo ilegal – e quer entender melhor essa realidade, separamos 4 perfis no Instagram que revelam o modo de vida de povos originários e servem como canal de denúncia de violações de direitos dessa população.

Na era da desinformação, alguns perfis nas redes sociais têm auxiliado, por exemplo, a denunciar o descaso com os povos originários de forma séria e com credibilidade.

Separamos 4 deles que costumam trazer imagens e vídeos impactantes, denúncias de violações de direitos e, ao mesmo tempo, belíssimas paisagens, danças culturais, além de cenas das tradições indígenas espalhadas por diferente regiões do Brasil. Segue o fio:

Povos Originários – povos.tradicionais

O perfil no Instagram faz uma espécie de curadoria de diversas postagens de indígenas e de perfis de influenciadores ou organizações ligadas à cultura dos povos originários, e traz desde vídeos denunciando a destruição do garimpo ilegal na região amazônica, como informações sobre festividades, tradições e costumes de diferentes etnias.

Nos últimos dias o perfil tem intensificado informações sobre os Yanomamis de Roraima, ajudando a repercutir a situação de abandono que as aldeias se encontram na região Norte do país.

Povos Indígenas do Brasil – povosindigenas

 O próprio perfil explica que a página no Instagram foi criada e é administrada por Renan Torres, Ciências Sociais (UENF) e editada por Carlos Siqueira, Ciências Sociais (UFBA).

“Este projeto foi criado com o objetivo de divulgar a cultura indígena do Brasil, que em muitos casos é mal vista ou pouco divulgada, afim de despertar nos cidadãos o reconhecimento e a valorização desta cultura, que faz parte de nossa identidade”, informa a publicação.

O projeto surgiu no ano de 2013 com a página no Facebook intitulada antes de: Índios do Brasil – Cultura Nacional, mas em 2015 o nome é alterado para: Povos Indígenas do Brasil, que segue aos dias atuais.

Hoje as páginas no Facebook, Instagram e Twitter funcionam juntas, com os objetivos de divulgar a cultura indígena do Brasil.

Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – apiboficial

Perfil ligado ao grupo ativista que tenta ajudar “líderes ambientais de povos indígenas e comunidades locais a desenvolverem redes e cultivarem inclusão promovida por suas próprias narrativas”.

A articulação – que une povos originários não apenas do Brasil, mas de toda a América Latina – recebe apoio de uma instituição beneficente baseada nos Estados Unidos sob regime e trabalha em parceria com comunidades para produzir filmes, tirar fotografias, selecionar conteúdo, envolver artistas locais e realizar eventos.

“Nosso trabalho busca desenvolver redes duradouras, denunciar políticas injustas e defender direitos de indígenas e comunidades locais para a promoção de mudanças sociais positivas”, informa o site.

Associação Wyka Kwara – associacaowykakwara

Perfil da organização não governamental com apoio internacional, voltada para os povos indígenas do Brasil e todos que se originam deles. Os objetivos são:

  • identificar, promover e resolver as demandas das populações indígenas;
  • reaproximar os parentes que nasceram na cidade e que por isto não conhecem e/ou não participam dos costumes do seu povo;
  • viabilizar a formação e qualificação de nível técnico e superior da juventude indígena;
  • inclusão no mercado de trabalho (dentro da própria aldeia) para os indígenas que concluíram ensino superior;
  • promoção de pós-graduação segundo a cosmologia dos povos originários para os indígenas já graduados;
  • atuação na revisão dos processos judiciais dos indígenas detidos (primeiramente no Pará e oportunamente nos outros Estados).

Veja também:

Receba a Curto 💌 Newsletter