Créditos da imagem: Curto News/Bing Image Creator

Avatares de IA são o futuro das reuniões virtuais, diz chefe do Zoom

Os usuários do Zoom, em um futuro não muito distante, poderiam enviar avatares de inteligência artificial (IA) para participar de reuniões em sua ausência, sugeriu o CEO da empresa, delegando o trabalho tedioso da vida corporativa a um sistema treinado com base no seu próprio conteúdo.

PUBLICIDADE

Tal sistema estaria disponível em “cinco ou seis anos”, disse Eric Yuan à revista The Verge, mas ele acrescentou que a empresa estava trabalhando em tecnologias de curto prazo que poderiam aproximar essa realidade.

“Vamos supor, avançando cinco ou seis anos, que a IA está pronta”, disse Yuan. “A IA provavelmente pode ajudar em talvez 90% do trabalho, mas em termos de interação em tempo real, hoje, você e eu estamos conversando online. Então, eu posso enviar minha versão digital, você pode enviar sua versão digital.”

Usar avatares de IA dessa maneira poderia liberar tempo para escolhas menos focadas na carreira, acrescentou Yuan, que também fundou o Zoom. “Você e eu podemos ter mais tempo para ter mais interações presenciais, mas talvez não para o trabalho. Talvez para outra coisa. Por que precisamos trabalhar cinco dias por semana? No futuro, quatro dias ou três dias. Por que não passar mais tempo com sua família?”

PUBLICIDADE

Em última análise, ele sugere que cada usuário teria seu próprio “modelo de linguagem grande” (LLM, na sigla em inglês), a tecnologia subjacente de serviços como o ChatGPT, que seria treinado com base nos padrões de fala e comportamento dos usuários, permitindo-lhes gerar respostas extremamente personalizadas a consultas e solicitações.

Tais sistemas poderiam ser uma progressão natural das ferramentas de IA que já existem hoje. Serviços como o Gmail podem resumir e sugerir respostas a e-mails com base em mensagens anteriores, enquanto o Microsoft Teams transcreve e resume videoconferências, gerando automaticamente uma lista de tarefas a partir do conteúdo.

Outros serviços geram avatares de vídeo realistas e fala plausível a partir de uma transcrição de texto. Juntando tudo isso, pode parecer que um avatar de IA está à nossa frente.

PUBLICIDADE

No entanto, o especialista em IA Simon Willison descartou a ideia de que tal tecnologia fosse iminente ou mesmo possível. “Meu problema fundamental com toda essa ideia é que ela representa puro pensamento de ficção científica sobre IA”, disse ele. “Só porque um LLM pode fazer uma imitação razoável de alguém não significa que ele possa realmente realizar ‘trabalho’ útil em nome dessa pessoa.

“LLMs são ferramentas úteis para o pensamento. Eles são ferramentas terríveis para delegar a tomada de decisões. Essa é atualmente minha linha vermelha para usá-los: qualquer momento em que alguém delega autoridade real de tomada de decisões a um gerador de números aleatórios opaco é uma receita para o desastre.”

Outros expressaram preocupação com o borrão entre o real e o falso. Steve Won, diretor de produto da empresa de segurança e identidade 1Password, apontou as alegações de Yuan como evidência de que a verificação online está prestes a se tornar significativamente mais complicada.

PUBLICIDADE

“Quantos gêmeos digitais eu posso ter a qualquer momento? Isso é como uma situação do Max Headroom”, disse Won na terça-feira, referindo-se à série de televisão dos anos 80.

“O fato de que o principal aplicativo de comunicação virtual do mundo está pensando: ‘Sim, é totalmente normal ter conversas inautênticas, representando e tomando decisões de negócios’ – acho que isso faz com que seja um problema urgente que teremos que resolver.”

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima