Estudante nega usar IA em trabalho e denuncia falha em software antiplágio

Uma estudante universitária foi colocada em 'monitoramento acadêmico' depois que o software antiplágio da faculdade a acusou de usar inteligência artificial (IA) para escrever um trabalho - algo que ela nega veementemente.

Marley Stevens, 21 anos, estudante de serviços humanos e administração na University of North Georgia disse que usou o Grammarly – um complemento de navegador da web que corrige ortografia e pontuação – para revisar um trabalho de justiça criminal que ela submeteu em outubro.

PUBLICIDADE

Mas a estudante do terceiro ano foi automaticamente reprovada na matéria, depois que o uso de inteligência artificial foi sinalizado pelo software antiplágio TurnItIn.com. Stevens também perdeu sua bolsa de estudos e foi colocada em uma espécie de monitoramento acadêmico, após uma audiência disciplinar.

O software antiplágio é instalado no sistema que os alunos da faculdade utilizam para enviar trabalhos.

Agora Stevens está alertando estudantes universitários de todo o país para tomarem cuidado para não serem injustamente acusados ​​de trapaça por uma rede anti-IA. 

PUBLICIDADE

Marley Stevens / TikTok

A estudante disse que ela e outros alunos usaram o Grammarly em outras tarefas de casa sem penalidades, observando que ela teve professores que os incentivaram a instalar a extensão.

A ferramenta Grammarly afirmou que suas “sugestões de ortografia, correção gramatical, clareza, concisão e tom não são alimentadas por IA generativa” e alertou que algumas ferramentas podem sinalizar “erroneamente” seu uso como conteúdo gerado por IA.

Leia também:

Procurando uma ferramenta de Inteligência Artificial para facilitar a sua vida? Neste guIA, você navega por um catálogo de robôs movidos a IA e conhece suas funcionalidades. Confira a avaliação que a nossa equipe de jornalistas deu para elas!

PUBLICIDADE

Rolar para cima