Créditos da imagem: Curto News/BingAI

Falar sem cordas vocais: Novo dispositivo vestível com IA dá esperança

Pessoas que sofreram cirurgias de câncer na laringe ou que possuem condições patológicas nas cordas vocais podem ter dificuldade para falar. Essa dificuldade pode ser amenizada com um novo dispositivo vestível com inteligência artificial (IA).

O dispositivo, desenvolvido por uma equipe de engenheiros da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), é capaz de detectar os movimentos dos músculos da laringe e traduzi-los em voz audível.

PUBLICIDADE

O dispositivo é composto por duas partes: um sensor e um atuador. O sensor detecta os movimentos musculares e os converte em sinais elétricos. O atuador, por sua vez, converte esses sinais em voz. O dispositivo é não invasivo, fácil de usar e pode ser uma ferramenta importante para auxiliar na recuperação da fala.

A equipe de pesquisa que desenvolveu o dispositivo está trabalhando para aumentar o vocabulário que ele pode reproduzir e testá-lo em pessoas com distúrbios da voz. A expectativa é que o dispositivo possa ajudar as pessoas a recuperarem a fala mais rapidamente e a se comunicarem com mais facilidade.

Benefícios do dispositivo

  • Não invasivo
  • Fácil de usar
  • Pode ajudar na recuperação da fala
  • Pode ajudar as pessoas a se comunicarem com mais facilidade

Pesquisa futura

  • Aumentar o vocabulário do dispositivo
  • Testar o dispositivo em pessoas com distúrbios da voz

O novo dispositivo vestível com inteligência artificial é uma promessa para pessoas com problemas nas cordas vocais. O dispositivo pode ajudar as pessoas a recuperarem a fala mais rapidamente e a se comunicarem com mais facilidade. A pesquisa futura está focada em aumentar o vocabulário do dispositivo e testá-lo em pessoas com distúrbios da voz.

PUBLICIDADE

Leia também:

Procurando uma ferramenta de Inteligência Artificial para facilitar a sua vida? Neste guIA, você navega por um catálogo de robôs movidos a IA e conhece suas funcionalidades. Confira a avaliação que a nossa equipe de jornalistas deu para elas!

Rolar para cima