image-29-aspect-ratio-930-440
Newsverso

Interpol no metaverso: entenda a proposta por trás do ambiente virtual policial

23-nov 11:52
2 min

Dentro do metaverso uma infinidade de possibilidades estão ao dispor dos usuários, e agora organizações tradicionais estão se atentando a isso. A Organização Internacional de Polícia Criminal, Interpol, responsável por uma rede internacional colaborativa policial, acaba de lançar um ambiente no metaverso. A informação foi divulgada no último dia 20 de outubro pelo próprio portal da entidade. Com isso, a Interpol quer oferecer no mundo virtual treinamentos imersivos e interações entre agentes.

Proposta foi apresentada durante uma Assembleia Geral na Índia

A novidade metaversonica foi divulgada durante uma sessão surpresa da 90ª Assembleia Geral da Interpol em Nova Delhi, Índia. A ideia por trás do ambiente virtual é aproximar os usuários e tornar o fluxo de treinamentos mais eficiente com o uso da tecnologia. O ambiente virtual da Interpol vai oferecer aos agentes uma experiência na sede da Secretaria Geral da Interpol em Lyon, na França.

Objetivo da proposta da Interpol é combater o crime em todos os ambientes

O secretário-geral da Interpol, Jürgen Stock, comenta que “para muitos, o metaverso parece anunciar um futuro abstrato, mas as questões que ele levanta são aquelas que sempre motivaram a Interpol – apoiar nossos países membros no combate ao crime e tornar o mundo, virtual ou não, mais seguro para aqueles que o habitam”.

Além do ambiente virtual, a Interpol também anunciou a criação de um Grupo de Especialistas no Metaverso, que tem por objetivo estimular a segurança dentro do metaverso. 

Crimes no ambiente virtual entram no radar das organizações

Com seus avatares, os agentes vão poder fazer imersões em investigação forense e aprimorar capacidades de policiamento. A partir do crescimento de usuários do metaverso, a tecnologia uma lista de possíveis crimes em potencial entram no radar dos órgãos de segurança. Crimes contra crianças, roubo de dados, lavagem de dinheiro, fraude financeira, falsificação e assédio sexual foram apontados pela própria Interpol como problemas a serem discutidos com o metaverso.