Chefs de cozinha do Reino Unido aderem à campanha ambiental para tirar salmão do cardápio
Sustentabilidade

Chefs de cozinha do Reino Unido aderem à campanha ambiental para tirar salmão do cardápio

23-out 14:04
2 min
Créditos da imagem: Canva

O salmão é o produto de exportação alimentar mais valioso do Reino Unido. Saudável, com baixo teor de gorduras saturadas e rico em ômega-3, o salmão é uma história de sucesso. No entanto, um número crescente de chefs de elite estão virando as costas para o alimento, citando questões ambientais e de bem-estar na criação do salmão.

A população britânica de salmão selvagem do Atlântico caiu drasticamente desde a década de 1970, disse Matt Palmer da WildFish, uma instituição de caridade que incentiva os restaurantes a aderirem à campanha “Fora da mesa”, que tem mais de 150 restaurantes. A criação industrial de salmão é uma das causas ligadas a este declínio.

Um relatório da Inspeção de Saúde dos Peixes da Escócia concluiu que as mortes nas explorações piscícolas escocesas quase duplicaram em 2022 em comparação com o ano anterior. Acredita-se que o aumento da temperatura do mar e as micro-águas-vivas estejam por trás da queda de 18% no salmão de viveiro este ano. Os críticos argumentam que a superlotação e o abate de peixes antes de estarem totalmente crescidos é antiético.

Chantelle Nicholson, chef-proprietária do restaurante sustentável Apricity, no centro de Londres, costumava servir salmão regularmente em seu local anterior, o Tredwells: “É popular. Se você colocar no cardápio, ele vende”, diz ela. Mas o relato do uso de antibióticos a inspirou a retirar os peixes do menu. Ao Guardian, ela explica que foi em busca de frutos do mar alternativos, como a truta Chalk Stream e mexilhões.

A Salmon Scotland afirma que 95% das explorações de água do mar não utilizaram antibióticos em 2021. “O salmão escocês é o peixe mais popular do Reino Unido e o principal produto de exportação alimentar do país. Com a procura interna e global de salmão escocês continuando a crescer, o sucesso do setor do salmão escocês – e os empregos que dele dependem – não serão postos em risco por um punhado de chefs ativistas”, rebateu Tavish Scott, executivo-chefe da Salmon Scotland.

Veja também: