guerra na Ucrânia
🌎 Curto (Sobre)Viver

Invasão da Ucrânia pode ter acelerado a transição energética do planeta

27-out 17:28
2 min
Créditos da imagem: AFP

A Agência Internacional de Energia (AIE) afirmou nesta quinta-feira (27) que, em consequência da invasão da Ucrânia pela Rússia, as emissões mundiais de gases do efeito estufa vinculadas à energia devem alcançar o pico em 2025, após o aumento dos investimentos em energias renováveis provocado pela “profunda reorientação” dos mercados energéticos.

A poucos dias do início da Conferência Mundial sobre o Clima (COP27), no Egito, a AIE também adverte para “divisões” entre países ricos e pobres em termos de investimentos nas energias com baixa emissão de carbono e pede “maior esforço internacional para reduzir a preocupante diferença”.

“As respostas dos governos de todo o mundo a esta crise de energia indicam um ponto de virada histórico”, afirmou o diretor da AIE, Fatih Birol, em uma entrevista coletiva na qual examinou o relatório anual da agência de 2022.

“Esta crise acelerou efetivamente a transição para a energia verde”, acrescentou. “Os mercados de energia e as políticas públicas mudaram desde a invasão russa da Ucrânia, não apenas para o presente, e sim para as próximas décadas”, afirmou Birol no relatório.

Embora existam países que buscam aumentar ou diversificar o abastecimento de petróleo e gás – combustíveis fósseis que emitem muito CO2 -, muitos estudam acelerar mudanças estruturais na direção de energias limpas, aponta a agência, vinculada à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE).

O mundo se aproxima do “fim da idade do ouro do gás” que já dura uma década, afirmou Birol. “A demanda (de gás), especificamente nas economias desenvolvidas, está diminuindo”.

(com AFP)

Leia também: