presos-no-ginasio-aspect-ratio-930-440
🥸 Não Curto Fake News

Mortes e campo de concentração: veja as fake news criadas por bolsonaristas presos

10-jan 16:28
2 min

Com celular nas mãos e uma série de mentiras, bolsonaristas detidos por participarem de atos de vandalismo continuam espalhando teorias da conspiração nas redes sociais. Veja o que já foi desmentido, até mesmo pela Polícia Federal.

Numa espécie de loucura compartilhada, extremistas continuam viralizando vídeos com teorias conspiratórias baseadas em mentiras facilmente detectadas.

Além de “denunciarem” falta de comida – o que já foi desmentido pela PF – detidos no ginásio da Academia da Polícia Federal em Brasília, por praticarem atos de vandalismo, comparam o espaço a campos de concentração do nazismo e tentam disseminar terror nas redes:

A teoria não está contida aos presos no ginásio. Ela vem sendo compartilhada por influenciadores extremistas e até por ex-celebridades, como a atriz e ex-secretária de Cultura do governo Bolsonaro. Regina Duarte:

Mortes desmentidas além de outras ilações

Desde o último domingo (8) há uma chuva de mentiras sobre os detidos que estão sob custódia da Polícia Federal:

  • Nenhuma morte ocorreu entre os detidos
  • TODOS estão recebendo alimentação e água
  • Há primeiro socorros e atendimento a pessoas que passam mal

Produção incessante de vídeos alimenta histeria

“A desinformação é um instrumento de racionalização sem muita racionalidade”, diz Ivan Paganotti, doutor em Ciências da Comunicação e professor da Universidade Metodista de São Paulo, ouvido pela AFP.

Ele destaca que a produção e a disseminação de notícias falsas no Brasil parte de uma rede eficiente e segmentada, cujos grupos se espalham por diferentes plataformas e têm temáticas e perfis de públicos distintos.

Alguns indivíduos são responsáveis por conectar os diversos canais, integrando e ampliando o alcance dos conteúdos e assim, mesmo diante de evidências A MENTIRA VIRA VERDADE para quem quer acreditar nela.

Veja também:

Receba notícias e newsletters do Curto News no WhatsApp e Telegram.