Captura-de-Tela-2023-01-09-as-21.26.02-aspect-ratio-930-440
🗺 Curto Mundo

Jogador iraniano tem pena de morte revertida e ficará preso 26 anos por defender direitos das mulheres

9-jan 20:27
1 min
Créditos da imagem: Reprodução/Redes Sociais

Em meio a tensão vivenciada no Irã, em razão dos protestos pela liberdade das mulheres no país, o jogador Amir Nasr-Azadani foi acusado de traição por se colocar ao lado da causa feminina iraniana em manifestações. O atleta corrida o risco de condenação à morte por enforcamento, mas ele se livrou da pena máxima e terá de cumprir 26 anos de reclusão.

No dia 16 de novembro, Nasr-Azadani participou de um protesto pela morte da iraniana Mahsa Amini, que foi presa por usar de forma inadequada o véu islâmico. Na ocasião, a manifestação terminou com a morte de agentes de segurança do país.

Detido, o jogador, de 26 anos, passou a correr o risco de condenação à morte, assim como outros homens iranianos que se envolveram na causa.

Nasr-Azadani construiu sua carreira em três clubes, Sepahan, Rah Ahan e Tractor, seu último time, o qual defendeu até 2018.

Leia também:

Receba notícias e newsletters do Curto News no WhatsApp e Telegram.