32KA4X9-highres-scaled-aspect-ratio-930-440
🗺 Curto Mundo

Últimas da Ucrânia: França quer punição para Rússia, vazamentos dos gasodutos e +

Por: Redação Curto News
3-out 18:00
42 min
Créditos da imagem: AFP

Acompanhe as últimas notícias sobre o conflito armado entre Rússia e Ucrânia no continente europeu.

04 de outubro – terça-feira

  • Os “crimes” cometidos pela Rússia na Ucrânia devem ser “documentados, julgados e punidos” – declarou a primeira-ministra francesa, Elisabeth Borne, em um debate na Assembleia Nacional na segunda-feira (03). (AFP)
  • A Coreia do Norte expressou nesta terça-feira (04) apoio à anexação de territórios ucranianos pela Rússia e criticou os Estados Unidos e seus aliados por tentarem condenar o comportamento de Moscou na ONU. (AFP)
  • A Suécia bloqueou nesta segunda-feira (3) o acesso em um raio de cinco milhas náuticas no setor dos vazamentos dos gasodutos Nord Stream 1 e 2 no Mar Báltico, anunciou o Ministério Público, encarregado de investigar a suposta sabotagem. (AFP)

03 de outubro – segunda-feira

  • A Rússia “consultará” a população para estabelecer as fronteiras das regiões anexadas de Kherson e Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, afirmou nesta segunda-feira (03) o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. (AFP)
  • Um total de 417 turistas russos chegaram neste sábado (2) à Ilha de Margarita, no nordeste da Venezuela, depois de sete meses de interrupção da conexão pelas restrições aéreas impostas à Rússia por sua invasão da Ucrânia. (AFP)

02 de outubro – domingo

  • O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, anunciou neste domingo (02) que a cidade estratégica de Lyman, na região leste do país, em um dos territórios anexados pela Rússia, está “completamente livre” de tropas de Moscou. (AFP)
  • O papa Francisco suplicou neste domingo (02) ao presidente russo, Vladimir Putin, que acabe com a “espiral de violência” na Ucrânia, ao mesmo tempo que criticou as anexações de territórios por considerá-las “contrárias ao direito internacional”. (AFP)
  • A Ucrânia acusou as forças russas no sábado (1º) de matar a tiros 24 civis, entre eles 13 crianças, em um ataque a um comboio de veículos perto da cidade de Kupiansk, recentemente reconquistada.

01 de outubro – sábado

30 de setembro – sexta-feira

  • Um bombardeio contra um comboio de veículos civis deixou pelo menos 25 mortos nesta sexta-feira (30) no sul da Ucrânia, poucas horas antes de o governo da Rússia formalizar a anexação de quatro regiões ucranianas. (AFP)
  • A Rússia ainda precisa “esclarecer” se vai anexar a totalidade das regiões ucranianas de Kherson e Zaporizhzhia ou apenas as partes que ocupa, afirmou nesta sexta-feira o porta-voz do Kremlin. (AFP)
  • A Rússia anunciou a anexação de áreas do leste e do sul da Ucrânia, mas em Kupiansk (nordeste), as tropas ucranianas continuam afastando o adversário, ameaçando inclusive os eixos de abastecimento. A região de Kharkiv, um dos primeiros objetivos da invasão, continua resistindo às ações do Kremlin, cujas tropas foram obrigadas a recuar após a contraofensiva de Kiev no início de setembro. (AFP)
  • O presidente russo Vladimir Putin deu início nesta sexta-feira (30) ao seu discurso no Kremlin consagrado à anexação de quatro regiões ucranianas após “referendos” amplamente denunciados pela Ucrânia e por seus aliados ocidentais. (Curto News)

29 de setembro – quinta-feira

28 de setembro – quarta-feira

  • A Ucrânia não pode negociar com a Rússia após a organização de “referendos” de anexação em quatro regiões ucranianas, três das quais já anunciaram na noite desta terça-feira (27) que o “sim” venceu, declarou o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, à ONU. (AFP)
  • O governo da Ucrânia acusou o Brasil, entre outros sete países, de enviar observadores para dar legitimidade ao referendo que a Rússia organizou para anexar 15% do território ucraniano —o Ministério de Relações Exteriores do Brasil negou que tenha enviado um observador oficial. (g1)

27 de setembro – terça-feira

  • Os dois gasodutos Nord Stream entre Rússia e Alemanha, fora de operação pela guerra na Ucrânia, foram afetados por vazamentos de gás inexplicáveis no Mar Báltico, informaram nesta terça-feira (27) autoridades suecas e dinamarquesas. Causa de tensões geopolíticas nos últimos meses, os dois gasodutos explorados por um consórcio vinculado ao grupo russo Gazprom estão fora de operação devido à guerra na Ucrânia, mas permanecem repletos de gás. (AFP)
  • Geórgia e Cazaquistão, dois países que têm fronteira com a Rússia, confirmaram nesta terça-feira (27) o aumento expressivo da chegada de russos desde que o presidente Vladimir Putin anunciou, na semana passada, uma mobilização militar para enviar reforços à Ucrânia. (AFP)
  • A Rússia não apresentará nenhum filme para a disputa do Oscar, anunciou a Academia Russa de Cinema, no momento em que Estados Unidos e Rússia enfrentam uma das piores crises de sua história devido à ofensiva russa na Ucrânia. (AFP)

26 de setembro – segunda-feira

25 de setembro – domingo

24 de setembro – sábado

23 de setembro – sexta-feira

22 de setembro – quinta-feira

21 de setembro – quarta-feira

20 de setembro – terça-feira

19 de setembro – segunda-feira

17 de setembro – sábado

16 de setembro – sexta-feira

15 de setembro – Quinta-feira

14 de setembro – Quarta-feira

13 de setembro – Terça-feira

12 de setembro – Segunda-feira

  • O Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos denunciou nesta segunda-feira (12) a “intimidação” na Rússia dos opositores à guerra na Ucrânia, assim como as “formas de censura” vigentes no país. (AFP)
  • O exército ucraniano anunciou nesta segunda-feira (12) que retomou “mais de de 20 localidades” em 24 horas como parte de sua contraofensiva para afastar o exército russo. (AFP)
  • Ucrânia desliga a maior usina nuclear da Europa por medidas de segurança, o local está ocupado por tropas russas e é alvo de combate. (g1)

11 de setembro – Domingo 

  • “Milhares” de pessoas fugiram da região de Kharkiv, na Ucrânia, palco da contraofensiva de Kiev, para a Rússia em 24 horas, disse neste domingo o governador da região russa de Belgorod, que faz fronteira com a Ucrânia. “Não foi a noite ou a manhã mais tranquila. Nas últimas 24 horas, milhares de pessoas cruzaram a fronteira”, disse Viacheslav Gladkov em um vídeo postado no Telegram. (AFP)
  • A Ucrânia reivindicou importantes conquistas territoriais, incluindo a cidade de Kupiansk (leste), como parte de uma contra-ofensiva militar contra a Rússia, que decidiu reagrupar suas forças na frente oriental. O exército ucraniano recuperou em setembro “2.000 quilômetros de território” que estavam sob domínio russo, afirmou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, sem especificar se tratavam-se de quilômetros quadrados. “Nos últimos dias, o exército russo nos mostrou o que tem de melhor: as costas. Afinal, ele fez o que tinha que fazer: fugir”, provocou Zelensky. Uma das últimas cidades que a Ucrânia afirma ter retomado é Kupiansk, tomada pelas tropas russas pouco depois do início da invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

10 de setembro – Sábado

9 de setembro – Sexta-feira

8 de setembro – Quarta-feira

6 de setembro – Terça-feira

  • Rússia acusa Ucrânia por novos bombardeios contra a central nuclear de Zaporizhzhia (AFP)
  • Rússia suspende referendo de anexação em zona ocupada por contraofensiva da Ucrânia (AFP)
  • Último reator da usina nuclear ucraniana de Zaporizhzhia é desconectado (AFP)

2 de setembro – Sexta-feira

1 de setembro – Quinta-feira

31 de agosto – Quarta-feira

Combates no Sul
Gás europeu
Zaporizhzhia

Missão AIEA

Radiação

Curto Curadoria

30 de agosto – Terça-feira

29 de agosto – Segunda-feira

28 de agosto – Domingo

A União Europeia planeja suspender seu acordo de visto de viagem com a Rússia ainda nesta semana (Financial Times* 🚥). O plano de congelar o combinado de 2007 tornará mais difícil e mais caro para os russos conseguirem documentos do Acordo de Schengen. 

27 de agosto – Sábado

  • O governo russo impediu uma declaração conjunta da conferência da ONU sobre desarmamento nuclear (BBC*). A Rússia alegou estar muito preocupada com as atividades militares em torno das usinas nucleares da Ucrânia. O Tratado de Não-Proliferação Nuclear tem a missão de impedir a disseminação de armas nucleares. Ele é revisado a cada cinco anos pelos 191 países que aderiram ao acordo.
  • Quer entender mais sobre esse acordo 👆🏼? Clique aqui. (Politize)
  • O presidente russo, Vladimir Putin, assinou um decreto que prevê que o país pague um benefício mensal de 10.000 rublos (R$ 839) a refugiados ucranianos que migraram para a o território russo durante a invasão na Ucrânia, iniciada em 24 de fevereiro. Leia mais na matéria do Poder 360º.

26 de agosto – Sexta-feira

25 de agosto – Quinta-feira

24 de agosto – Quarta-feira

Imagens do 24.08.22

O Dia da Independência ucraniana, conquistada em 1991 e, neste ano, também a marca os seis meses da Guerra na Ucrânia. Veja mais fotos publicadas pelo Axios.*


23 de agosto – Terça-feira

22 de agosto – Segunda-feira

21 de agosto – Domingo

  • Poucos dias antes da Ucrânia marcar o aniversário de sua independência, coincidindo com seis meses da invasão russa, o presidente ucraniano Volodimir Zelensky alertou que Moscou poderia fazer algo particularmente “cruel” esta semana.  “A Rússia poderia se esforçar para fazer algo particularmente repugnante e cruel”, disse Zelensky durante seu discurso diário no sábado. A Ucrânia comemora em 24 de agosto sua independência da URSS em 1991, que este ano coincide com os seis meses da invasão russa, que causou dezenas de milhares de mortes e destruição em massa no país. (AFP)

20 de agosto – Sábado

19 de agosto – Sexta-feira

18 de agosto – Quinta-feira

  • Quatro meses após a última visita, o secretário-geral da ONU chega à Ucrânia para reunião trilateral com o presidente da Turquia e da Ucrânia, Volodimir Zelensky. Em sua mensagem diária no Telegram, Zelensky anunciou a chegada de Antonio Guterres.
  • O trio irá discutiu as preocupações sobre um possível desastre nuclear, e o representante da ONU tentou negociar a desmilitarização da usina de Zaporizhzhia. Antonio Guterres defendeu que qualquer acidente no local seria um “suicídio”, confira o vídeo sobre o encontro. (Correio do Povo Play). Entenda mais:

17 de agosto – Quarta-feira

16 de agosto – Terça-feira

15 de agosto – Segunda-feira

  • O presidente da Rússia, Vladmir Putin, sinalizou que quer estreitar laços com a Coréia do Norte. Ele escreveu ao líder norte-coreano Kim Pyongyang no dia da libertação da Coréia do Norte, afirmando que a expansão da relação entre os dois países seria de benefício comum e ajudaria fortalecer a segurança e estabilidade na península coreana e no noroeste da Ásia. As informações foram divulgadas pela agência de notícias KCNA, da Coréia do Norte.
  • Está pronto para desembarcar o primeiro navio da Organizações das Nações Unidas para transportar grãos ucranianos à África. Ele carrega 23 mil toneladas de trigo e se dirige à Etiópia, segundo informe do ministro de infraestrutura da Ucrânia. A remessa é parte de um acordo de julho, feito entre Kyiv e Moscou e intermediado pela ONU e a Turquia.
  • No estado de Kharkiv, na Ucrânia, um bombardeiro deixou cinco pessoas feridas e duas em estado grave, segundo um funcionário do governo. De acordo com o comunicado, serviços médicos continuam trabalhando nos locais atingidos.
  • Com o inverno se aproximando, o prefeito de Kiev Vitali Klitschko afirmou que será feito o possível “para manter casas aquecidas”, mas há riscos de ataques de terrorismo, a hospitais e a postos de gasolina, o que prejudicaria a distribuição de gás. Ele alerta que a população precisa se preparar para “diferentes cenários”, além de juntar cobertores e roupas quentes para se proteger em casa.

14 de agosto – Domingo

  • Moradores da região em que fica a usina nuclear de Zaporizhzhia relataram novos bombardeios. Enquanto o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirma que se tratam de intimidações russas, as autoridades que ocupam a usina e são pró-Rússia dizem que Kiev está por trás dos ataques. Há uma semana Rússia e Ucrânia se acusam de promover os bombardeiros contra Zaporizhzhia, onde há resíduos radioativos. O primeiro deles ocorreu no dia 5 de agosto.

13 de agosto – Sábado

  • Ucrânia e Rússia se acusaram mutuamente, neste sábado, de ataques contra a central nuclear de Zaporizhzhia, a maior da Europa, que está ocupada pelas tropas de Moscou e tem sido palco de enfrentamentos há uma semana. “Reduzam sua presença nas ruas de Enerhodar. Recebemos notícias de novas provocações por parte dos ocupantes” russos, escreveu no Telegram a agência nuclear ucraniana Energoatom, que publicou uma mensagem de um dirigente local da cidade de Enerhodar (controlada por Kiev), próxima à central nuclear. “Segundo os depoimentos dos moradores, há novos bombardeios nas proximidades de Zaporizhzhia. “O intervalo entre a saída e a queda dos projéteis é de 3 a 5 segundos”, acrescentou a agência na mensagem. Por sua vez, as autoridades de ocupação instaladas pela Rússia em partes do sul da Ucrânia acusaram Kiev de estar por trás dos ataques. (com AFP)

12 de agosto – Sexta-feira

11 de agosto – Quinta-feira

  • ACUSAÇÕES: A Rússia voltou a atacar a usina nuclear de Zaporizhzhia na Ucrânia, que é a maior de toda a Europa. Volodomir Zelensky, presidente ucraniano, afirmou que se trata de uma “chantagem nuclear”. A ONU pediu a suspensão imediata da atividade militar perto da usina, que pode gerar uma “catástrofe”.

Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) pediu que os países envolvidos no conflito o controle da central nuclear “o quanto antes” para evitar danos ainda maiores. Em resposta, Moscou alegou ter sido um acidente, mas imagens de satélite sinalizam que os ataques podem ter sido intencionais. As forças russas mantém o controle da usina ucraniana desde 4 de março, logo após o início da sua entrada no país.

  • EVACUAÇÃO: No 78º dia do conflito, a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou a segunda retirada de civis da cidade de Mariupol, na Ucrânia, que a Rússia afirma já ter conquistado.
  • ALÍVIO: O pagamento de 20 bilhões de dólares que correspondem à dívida externa ucraniana será congelada até 2024. Países credores o Reino Unido, França, Alemanha, Japão e Estados Unidos concordaram em adiar a cobrança dos juros diante da instabilidade econômica que se desenha no país após a invasão russa. Moscou afirmou que a ação do país configura xenofobia.
  • TERRORISTA: A Rússia foi declarada como um “Estado patrocinador do terrorismo” pelo parlamento da Letônia, que pede que outros países adotem a mesma medida e que a União Européia deixe de emitir vistos turísticos aos russos e bielorrussos. Os legisladores também afirmaram que “a violência da Rússia cometidas contra civis” são um “genocídio“.

10 de agostoQuarta-feira

  • PEDIDO: O G7, grupo dos países mais industrializados do planeta, criticou nesta quarta-feira a ocupação da central nuclear de Zaporizhzhia e pediu à Rússia que devolva o controle total da usina para a Ucrânia. Os funcionários ucranianos da usina “devem ter condições de executar suas tarefas sem ameaças ou pressão. O controle contínuo da Rússia na central coloca em perigo a região”, afirmam os ministros das Relações Exteriores dos países integrantes do grupo.
  • LESTE: Pelo menos seis pessoas morreram e outras três ficaram feridas nesta quarta-feira (10) em um bombardeio russo na cidade ucraniana de Bakhmut, perto do front leste, de acordo com o governo regional. “Doze prédios residenciais foram danificados e quatro incendiaram chamas”, disse Pavlo Kirilenko, governador de Donetsk.
  • CRIMEIA: A Ucrânia atacou uma base aérea russa na Crimeia (UOL), país que desde 2014 é anexado ao território Russo e está na linha de frente do conflito atual. O bombardeio assustou turistas hospedados em resorts à beira-mar, que foram compartilhados em vídeos nas redes sociais.

Com informações da AFP
Foto de destaque:
Mikhail Klimentyev / SPUTNIK / AFP
(🚥): pode exigir registro e-ou assinatura
*conteúdos em outros idiomas foram traduzidos via Google Translate