Cerimônia de lançamento oficial do Censo Demográfico 2022, no Museu do Amanhã, zona portuária do Rio.
📚 Curto Educação

Censo 2022: para que serve a pesquisa e como identificar os funcionários do IBGE? 

2-ago 18:28
2 min
Créditos da imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Quantos somos, onde estamos e como vivemos? O Censo Demográfico do IBGE vai responder essas perguntas e apresentar o retrato atual do Brasil. As respostas colhidas por funcionários uniformizados e identificados serão base para ações nas áreas de saúde, educação e demais políticas públicas.

A coleta do Censo Demográfico de 2022 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) começou esta semana em 5.570 municípios . O levantamento serve para recolher informações sobre a situação de vida da população em cada um dos municípios. Para isso, os funcionários do IBGE, chamados recenseadores, fazem uma série de perguntas aos entrevistados, pela internet ou presencialmente.  

“Nossa equipe visitará todos os lares brasileiros, coletando informações que serão muito relevantes para o futuro do país”, explicou o presidente do IBGE, Eduardo Rios Neto.

Os resultados dessa pesquisa são essenciais para definir, por exemplo, as políticas públicas aplicadas no país. O último censo foi feito em 2010. 

Serão aplicados dois tipos de questionário: o básico, com 26 quesitos, que leva em torno de 5 minutos para ser respondido. O questionário ampliado, com 77 perguntas, leva cerca de 16 minutos.

Este vídeo do IBGE explica o que é o Censo:

Como identificar os funcionários do IBGE?

De acordo com a agência IBGE de notícias, os recenseadores estarão sempre uniformizados, com o colete do instituto, boné do Censo, crachá de identificação e o Dispositivo Móvel de Coleta (DMC).

 É possível confirmar a identidade do agente no site Respondendo ao IBGE (respondendo.ibge.gov.br) ou pelo telefone 0800 721 8181.

Imigrantes e refugiados no Brasil serão incorporados ao Censo 

O foco serão municípios de Roraima que receberam grande número de imigrantes vindos da Venezuela. É o caso das cidades de Boa Vista e Pacaraima – a principal porta de entrada de imigrantes venezuelanos -, além de outros estados da federação que receberam os estrangeiros. 

O IBGE firmou acordos de cooperação técnica com agências da ONU (Organização das Nações Unidas), como o ACNUR (Alto-Comissariado das Nações Unidas para Refugiados). O objetivo é facilitar as discussões relacionadas às etapas de análise dos resultados do censo, planejamento e observação das pesquisas domiciliares por amostra do do IBGE. (Informações da Agência de Notícias IBGE)